Psicólogo RJ – Pode parecer redundante, mas os efeitos do treinamento cerebral – usando ferramentas como jogos de palavras e números para melhorar o desempenho cognitivo

Esse estudos são na verdade bem controversos, entendemos isso como psicólogo rj. Isso porque os benefícios mais amplos e de longo prazo do treinamento cerebral ainda precisam ser determinados. Há muitas questões: os jogos de palavras e números realmente aprimoram seu cérebro, ou você apenas melhora em fazer quebra-cabeças? Esses quebra-cabeças ajudam a manter seu cérebro funcionando melhor por um período maior de tempo? Pesquisadores estão planejando encontrar respostas mais definitivas, de uma forma ou de outra.

usando ferramentas como jogos de palavras e números para melhorar o desempenho cognitivo - são na verdade bem controversos. Isso porque os benefícios mais amplos e de longo prazo do treinamento cerebral ainda precisam ser determinados. Há muitas questões: os jogos de palavras e números realmente aprimoram seu cérebro, ou você apenas melhora em fazer quebra-cabeças? Esses quebra-cabeças ajudam a manter seu cérebro funcionando melhor por um período maior de tempo? Pesquisadores estão planejando encontrar respostas mais definitivas, de uma forma ou de outra.

Psicólogo RJ – Sobre a Pesquisa

Usando dados coletados on-line de mais de 19.000 participantes com idades entre 50 e 93, pesquisadores da Universidade de Exeter Medical School no Reino Unido e agora aqui nesse post da psicólogo rj , descobriram que aqueles que jogavam regularmente jogos como o Sudoko tinham função cognitiva significativamente maior do que aqueles que jogavam menos ou nenhum. As habilidades de funcionamento do cérebro testadas incluíam raciocínio, atenção / foco, processamento de informações, função executiva, memória de trabalho e memória episódica.

O estudo, publicado na edição de maio de 2019 do Jornal Internacional de Psiquiatria Geriátrica, agora aqui nesse post da psicólogo rj, pega carona em pesquisas publicadas no ano passado pelos mesmos pesquisadores sobre os benefícios cognitivos de se fazer quebra-cabeças de palavras, como palavras cruzadas. Em ambos os casos, os pesquisadores descobriram que quanto mais os participantes trabalhavam nos quebra-cabeças, melhor eles faziam testes que avaliavam suas capacidades de atenção, raciocínio e memória. No caso dos quebra-cabeças de números, os pesquisadores descobriram que aqueles participantes que supostamente faziam quebra-cabeças de números mais de uma vez por dia obtiveram as maiores notas em todas as funções cognitivas testadas do que qualquer outro grupo. No geral, a velocidade e a precisão melhoraram notavelmente.

Um artigo de 2016 publicado na Nature revisou várias teorias e estudos de treinamento cerebral e apresentou resultados conflitantes e revisões mistas. Enquanto muitos estudos parecem mostrar benefícios reais do treinamento, os céticos dizem que pode não haver nada mais do que praticar qualquer coisa para melhorar. Eles questionam se tipos específicos de treinamento cerebral usados ​​nesses tipos de estudos realmente melhoram a cognição em outras áreas e sob outras circunstâncias. Eles também questionam se a gama de atividades usadas para testar a cognição é ampla o suficiente para medir com precisão o resultado e seu significado.

Psicólogo RJ -Pesquisas como essas, recentemente publicadas, e estudos de quebra-cabeças de números, atendem ao apelo dos céticos em busca de estudos maiores e mais fortes sobre os efeitos do treinamento cerebral

Muitas questões permanecem sobre a relação entre a memória operacional e a inteligência, por exemplo, e sobre os benefícios gerais e de longo prazo do treinamento para o cérebro. Pesquisadores de todo o mundo estão se unindo para se envolver em estudos mais rigorosos em que novas idéias e métodos para treinamento cerebral serão explorados e compartilhados.

Enquanto isso, a maioria dos estudos termina com justificativas para pesquisas futuras e os estudos de Exeter não são exceção. Enquanto este último estudo analisou quantas vezes os participantes jogavam quebra-cabeças de números, assim como o estudo anterior analisou a frequência de quebra-cabeças, os pesquisadores estão planejando futuros estudos para ajudá-los a determinar se e como o tipo específico e a dificuldade dos quebra-cabeças influenciam o cérebro função no envelhecimento dos adultos.