Psicólogo RJ “A paixão é uma grande força que libera a criatividade, porque se você é apaixonado por algo, você está mais disposto a assumir riscos”. Yo-Yo Ma –

Existe uma ligação entre criatividade e paixão romântica? Um novo artigo de pesquisa publicado no Journal of Personality and Social Psychology sugere que existe.

Escrito por Kathleen L. Carswell e Eli J. Finkel, da Northwestern University, e Madoka Kumashiro Goldsmiths, da Universidade de Londres, o artigo apresenta os resultados de três pesquisas examinando se ser criativo ajuda a fortalecer relacionamentos românticos de longo prazo.

Como os autores apontam, o que chamamos de paixão romântica pode ter muitos nomes, incluindo desejo romântico, atração, desejo ou eros. Não é de surpreender que numerosas pesquisas tenham demonstrado o papel que a paixão romântica desempenha nos relacionamentos de longo prazo e no bem-estar pessoal. Certamente, a importância que atribuímos à paixão romântica ajuda a explicar a popularidade de romances, canções de amor, poesia, filmes, programas de televisão, etc.

Psicólogo RJ – Ainda assim, por tudo que valorizamos esse tipo de paixão, é importante notar o quão frágil pode ser.

Embora o casamento seja tipicamente visto como um compromisso para a vida toda, quase todas as grandes teorias que explicam a paixão romântica reconhecem que ela tipicamente atinge o auge no início dos relacionamentos e diminui lentamente com o tempo.

Mas não sempre. Um estudo recente relatou que, entre casais em relacionamentos de pelo menos 10 anos de duração, 40% relataram que ainda estão “muito apaixonados”. Nesse mesmo estudo, os pesquisadores complementaram esses autorrelatos com resultados de ressonância magnética funcional mostrando que a longo prazo os casais que relataram um alto grau de paixão mostraram uma ativação aumentada nas mesmas regiões cerebrais que as pessoas nos estágios iniciais de um relacionamento apaixonado.

Ao explorar os fatores que podem manter um relacionamento romântico vivo, os pesquisadores identificaram diferentes possíveis candidatos. Estes incluem fatores de relacionamento, como manter a intimidade regular, ser focado em experiências positivas de relacionamento, ser mutuamente responsivo às necessidades da parceria, e a crença de que a satisfação sexual pode ser alcançada através do trabalho duro e esforço.

Em sua própria pesquisa, no entanto, Carswell, Finkel e Goldsmiths decidiram se concentrar em outro fator inteiramente: criatividade. Geralmente definida como a capacidade de imaginar e produzir algo original e inesperado, mas ainda apropriado e útil, a criatividade tem sido o foco de inúmeros estudos de pesquisa. Mas, juntamente com o papel que a criatividade pode desempenhar no bem-estar emocional e na satisfação com a vida, a criatividade também pode ser importante na promoção de novos relacionamentos.

Psicólogo RJ "A paixão é uma grande força que libera a criatividade, porque se você é apaixonado por algo, você está mais disposto a assumir riscos". Yo-Yo Ma -   Existe uma ligação entre criatividade e paixão romântica? Um novo artigo de pesquisa publicado no Journal of Personality and Social Psychology sugere que existe.  Escrito por Kathleen L. Carswell e Eli J. Finkel, da Northwestern University, e Madoka Kumashiro Goldsmiths, da Universidade de Londres, o artigo apresenta os resultados de três pesquisas examinando se ser criativo ajuda a fortalecer relacionamentos românticos de longo prazo.

Psicólogo RJ – parceiros demonstram que indivíduos altamente criativos são mais capazes de atrair potenciais parceiros e formar fortes vínculos emocionais que podem crescer com o tempo

Mas tem havido relativamente pouca pesquisa até agora, considerando o valor da criatividade para manter a paixão viva em relacionamentos estabelecidos.

Por exemplo, a criatividade pode estar associada à capacidade de ver um parceiro através de “óculos cor-de-rosa” e ver um parceiro mais favoravelmente do que esse parceiro pode se ver. Essas “ilusões de parceiros positivos” têm sido fortemente ligadas pelos pesquisadores a resultados de relacionamento mais positivos em geral. Essas ilusões não apenas significam negligenciar as deficiências de um parceiro, mas também podem fazer com que o parceiro se sinta mais atraente e satisfeito com os relacionamentos. Além disso, como a criatividade envolve a capacidade de se engajar em atividades criativas (pouca criatividade), ter muita criatividade permite que as pessoas em relacionamentos evitem cair em rotinas definidas que podem levar ao tédio e à insatisfação.

O primeiro dos três estudos realizados por Carswell e seus co-pesquisadores envolveu uma pesquisa on-line realizada através da plataforma Mechanical Turk da Amazon. Um total de 510 participantes, (66 por cento do sexo feminino), todos os quais estavam em um relacionamento comprometido, completaram questionários incluindo a Escala de Personalidade Criativa e a Escala de Comportamento Criativo medindo traços de personalidade e comportamentos ligados à criatividade. Os participantes também completaram diferentes medidas de amor apaixonado, incluindo itens como: “Às vezes eu sinto que não posso controlar meus pensamentos; eles estão obsessivamente em [meu parceiro]” e “Eu quero [meu parceiro] fisicamente, emocionalmente, mentalmente” (o O inventário informatizado inseriu o nome do parceiro diretamente, em vez de termos genéricos, como “meu parceiro”. Os participantes também completaram itens classificando seu relacionamento em termos de desejo sexual e satisfação geral do parceiro.

O segundo estudo envolveu avaliações em pessoa de 139 casais em um ambiente de laboratório. Cada participante foi solicitado a classificar seu parceiro em vinte e seis características, como criatividade e atratividade. Eles também foram solicitados a se classificarem nos mesmos traços como uma medida de ilusões positivas em relação à autoclassificação dos parceiros.

Para o terceiro estudo, os pesquisadores construíram os resultados dos dois primeiros estudos usando um desenho longitudinal de nove meses para medir como a criatividade afetava a paixão ao longo do tempo. Cento e vinte pessoas em relacionamentos estáveis ​​foram testadas em intervalos de três meses com questionários que medem paixão romântica e criatividade. Durante a sessão final, os participantes que acompanhavam seus parceiros receberam uma “tarefa de intimidade física” que os envolvia sendo deixados sozinhos em particular por sete minutos. Antes de serem deixados sozinhos, eles foram instruídos pelos pesquisadores a se engajarem em “pouca ou muita intimidade física como você gostaria (dentro da razão)”. Na realidade, o casal foi filmado em segredo e a extensão de sua intimidade física foi avaliada por experimentadores.

Psicólogo RJ – Em todos os três estudos, ter uma personalidade mais criativa foi fortemente associado à manutenção da paixão de relacionamento ao longo do tempo.

Essa pesquisa não apenas mostrou uma forte correlação entre criatividade e paixão, mas também refletiu a importância das ilusões positivas do parceiro em manter a paixão romântica em declínio. As pessoas altamente criativas que relatam forte paixão ao longo do tempo têm muito mais probabilidade de avaliar seus parceiros mais altamente em termos de atratividade física e apelo geral que os parceiros classificaram por si mesmos. Medidas de criatividade também previam uma maior paixão durante a breve tarefa de intimidade física realizada nove meses depois, no terceiro estudo.

Embora essas descobertas reflitam a importância da criatividade na manutenção da paixão pelo relacionamento (algo que tem sido ignorado anteriormente pelos pesquisadores), Carswell e seus coautores reconhecem limitações significativas em suas pesquisas. Em primeiro lugar, a maioria de seus participantes eram jovens que só tinham relacionamentos comprometidos há pouco mais de um ano (o tempo médio de relacionamento era de 2,45 anos), portanto esses resultados podem não ser tão úteis para prever o que pode ocorrer com mais tempo. relacionamentos.

Ainda assim, apesar de tais limitações, esta pesquisa fornece uma perspectiva mais otimista para casais de longo prazo que procuram preservar a “faísca” em seu relacionamento. Embora estudos anteriores tenham sugerido que a paixão romântica desaparece com o tempo, estudos mais recentes mostram maneiras diferentes de manter a paixão ao longo do tempo.

Psicólogo RJ -Juntamente com estratégias baseadas em relacionamentos, como engajar-se em novas atividades com um parceiro e responder às necessidades de um parceiro, o papel que a criatividade pode desempenhar na preservação da paixão precisa ser melhor compreendido.

Também é importante reconhecer como as ilusões positivas do parceiro podem ser na manutenção de relacionamentos. Enquanto este estudo analisou apenas a atratividade física, as ilusões positivas podem se estender a uma ampla gama de diferentes traços de personalidade e qualidades também.

Juntamente com o papel positivo que a criatividade pode desempenhar nos relacionamentos, as pessoas criativas são geralmente mais abertas a novas experiências e podem ter maior paixão em aspectos não-românticos da vida, incluindo trabalho, manutenção de amizades e hobbies.

Infelizmente, as pessoas muitas vezes consideram a criatividade como algo com que você nasce, e sim com uma habilidade que pode ser desenvolvida. Na realidade, porém, as pessoas podem aprender a se tornar mais criativas e colher os benefícios de uma visão mais criativa da vida de várias maneiras. De fato, de acordo com Eileen Waltz, uma das autoras do livro de 2016, Construindo Sua Criatividade: Ferramentas Para Ter Ideias e Trazendo-as Para Ser, é possível entrar no “hábito” da criatividade sendo paciente e preparando seu cérebro para pensamento criativo. Com certeza, leva tempo – mas qual objetivo que vale a pena não?

Portanto, cultive sua criatividade e aprenda a aplicar essa criatividade aos relacionamentos de sua vida que importam. Pode ser a chave para redescobrir a paixão que você achava que estava perdida.